Pôr ordem em casa

Neste domingo da Quaresma o Evangelho leva-nos a Jerusalém, ao Templo, onde, devorado pelo zelo da casa do Pai, expulsa os cambistas e derruba as mesas de comércio.
A relação de Jesus com o Templo é muito especial. Jesus não era sacerdote nem filho de sacerdote, como por exemplo João baptista que era filho de Zacarias, sacerdote. Jesus não é sacerdote, nem pertence sequer ao grupo clerical judaico. Mas é Filho de Deus. Quando ele, com 12 anos, sobe a Jerusalém e fica no templo, Maria, quando o encontra, pede-lhe explicações. E a explicação é simples para Jesus: porque me procuráveis? Não sabiam que só podia estar na casa de meu Pai?
Anos depois, ao entrar no Templo revolta-se com o que estão a fazer do Templo, a casa do seu Pai... Pode-nos parecer estranho Jesus ter esta atitude violenta, mas mais estranho era ele não reagir.
Para mim este episódio diz-me duas coisas: que ninguém se pode aproveitar de Deus nem da Igreja para fazer negócio ou lucrar com isso. Com pena, na Igreja de Cristo, vemos que há gente que se aproveita do ser cristão, do pertencer a este ou aquele movimento, para ter um lugar especial, para subir, para entrar... isto é fazer comércio na casa de Deus. E a segunda é a "limpeza" que a Igreja tem de fazer. Não falo da "caça as bruxas" mas da limpeza que cada um de nós deve fazer à luz dos mandamentos (primeira leitura deste domingo) e à luz da cruz de Cristo (segunda leitura). Cristo quer purificar-nos das nossas maneiras mesquinhas de pesar, dizer e agir; Cristo quer pôr ordem na nossa casa, tantas vezes "bagunçada". Que a Quaresma seja o tempo favorável de cada um deixar que Cristo entre na sua vida e ponha a casa em ordem. Bom domingo!

Mensagens populares deste blogue

Oração para o início de um retiro

A fecundidade do casal

fr. José Maria Ribeiro, op (1939-2018)