As amoras e o seu doce

Por estes dias as amoras dignaram-se amadurecer. Os de cá dizem que ainda é cedo para as apanhar mas a verdade é que as de silvão são grandes e doces.
Com tanta abundância a família decidiu dedicar-se a fazer doce de amora silvestre para levar. Ontem foi dia de as apanhar. Uma equipa de 5, liderada pela minha mãe, que conhece os lugares dos silvões, fomos apanhá-las. Quase cinco quilos! Com a apanha das amoras vieram as histórias do passado, algumas delas mais caricatas e assim se passou o princípio da tarde. E começou-se a fazer. Em pequenas quantidades cada vez vamos fabricando o doce de amora, sem corantes nem conservantes. Basta paciência para ir lavar as amoras à fonte, onde a água é mais fresca, e depois a paciência de do sumo sair doce. A dividir por todos não custa a ninguém.
Aqui fica a foto da primeira levada de doce de amora.


Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

Oração para o início de um retiro

A fecundidade do casal