Um lanche e uma receita

A tia Irene e o tio Domingos, de Feirão, convidam-me todos os anos a ir um dia merendar com eles. Por aqui diz-se que é para "sociar", que deve querer dizer socializar. E eu aceito com gosto. Mas há uns anos atrás marcou-se sobre a hora e a tia Irene, que tinha pouco pão em casa, fez umas fritas. Que saborosas! Perguntei-lhe como é que se faziam e a receita, disse ela, era a coisa mais simples de fazer: uns ovos, um "tchis" de farinha, sal e água. Depois é só fritar. Disse-me ainda que era o que se fazia para a merenda das vessadas, porque se faziam rápido e alimentavam.
Tentei fazer estas fritas algumas vezes mas nunca me ficaram bem. Pensei eu que assim a olho a coisa nunca iria sair bem. Ontem lá foi o dia de merendar. E, entre outras coisas, lá estavam as fritas, gostosas como sempre. Lá gabei as fritas e lamentei-me de as minhas não saírem tão bem. "Então, senhor padre, disse-me ela, não se vai hoje daqui embora sem as ver fazer". E lá fizemos as fritas. E há um segredo: é tudo pouco, porque estamos em crise: poucos ovos, pouca farinha e pouco óleo para fritar.
Aqui deixo o meu agradecimento a este simpático, generoso e amigo casal e deixo os passos da receita. Eu vou tentar em breve, uma vez mais.
Batem-se os ovos bem batidos
Junta-se a farinha, o sal, a água morna e bate-se bem
Óleo bem quente e colheradas de massa para a frigideira
Deixar fritar de um lado e virar para o outro
Et voilá! Assim ficaram: fofas e saborosas!

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A fecundidade do casal

Oração para o início de um retiro