Só me faltava o latim!

Aqui por Roma, continuam os trabalhos da Comissão Litúrgica. Alguns frades perguntam-nos como comunicamos entre nós. Pergunta pertinente porque não vivemos na era "pré-Babel" em que os humanos daquele tempo falavam todos a mesma língua.
Aqui, nas sessões da manhã, temos a ajuda de uma tradutora. Estava contratada para traduzir do francês para o inglês mas a coitada tem de desdobrar-se em traduções: na maior parte da vezes tem que verter para o inglês; no entanto, pode traduzir do francês, do italiano e até do espanhol (sou só eu que falo em espanhol).
À tarde não temos tradução. reunimo-nos em dois grupos para trabalhos técnicos. Nas outras sessões eu estive na parte da música. Mais divertida, com os novos membros como eu... mas desta vez mandaram-me para a comissão principal e mais técnica: revisão das traduções do Missal da Ordem (ontem foi a italiana), resposta a perguntas que nos fazem e elaboração dos textos litúrgicos dos novos santos ou beatos, que foi o que nos ocupou esta tarde. Uma comissão de três membros, uma irmã professora e especialista em latim, um frade da "velha" comissão, e este que vos escreve estas linhas. Eu a pensar que só teríamos de fazer um ponto de situação quando reparo que a latinista se põe a falar comigo para fazermos os textos em latim! Nem tive tempo de lhe explicar que não sei praticamente nada de latim (e não é modéstia!)! Mas acabou por ser engraçado porque ela pediu colaboração. Poderia ter feito o trabalho sozinha mas ia pedindo conselho sobre verbos, significações... e eu lá dei a minha pequena contribuição. Isto tudo das 15h às 19h. Mas pronto, já percebi que estou na glossolalia... não me bastavam as línguas vivas e acescentam-me esta língua morta... menos mal. Qualquer dia até chinês começo a compreender!

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

Oração para o início de um retiro

A vida de São Macário