Quando se mete o pé na poça... 2

Há um tempo escrevi um post sobre o Presidente da Republica, ao qual pus o mesmo título que este. A este título coloco um dois para diferenciar do primeiro e porque o tema de hoje difere do outro.
Há uns dias o P. Gonçalo Portocarrero escreveu no Público um artigo ao qual deu o nome «Os sobrinhos de Deus». Como normalmente não leio o que ele escreve, dei só uma vista de olhos, mesmo muito por cima e, sem grandes delongas pensei para comigo: ridículo (nos últimos dias andei a rever este blogue e pensei o mesmo de algumas coisas que escrevi!).
Mas o artigo fez furor. Recebi uns quantos mails que encaminhavam o artigo. A todos respondi mais ou menos assim: "Já conhecia. Estará a falar dele próprio?". Porque, pelo pouco que conheço dele, o artigo assentava-lhe que nem uma luva. Mas, os «sobrinhos de Deus», grande parte "tias", e provavelmente da sua Obra, fizeram-lhe ver que tinha exagerado ou, para usar o título deste post, meteu o pé na poça.
E hoje lá vem ele, de cabeça baixa, humildemente pedir desculpas às tias e aos sobrinhos. Ficam-lhe bem estes sentimentos. Na rectificação até diz que ele não está imune "da mundanidade de uma falsa piedade, ou de um a aparência de virtude desligada de um sério propósito de vida cristã e eclesial".
Este senhor padre gosta muito de usar imagens e a ironia. Como reconhece neste artigo, mas pelo  que vou lendo, não foi só neste que revelou formas «desastradas e excessivas».
Errar é humano (eu que o diga). Todos caímos e nos levantamos. Esperemos que lhe sirva de emenda.
 
 

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A fecundidade do casal

Oração para o início de um retiro