As rotinas de Jesus

Quando nos olhamos ao espelho vemos o nosso rosto. Se a Igreja se visse ao espelho, teria de ver o rosto de Cristo. Seguindo o seu Mestre, a Igreja assume e testemunha a vida de Cristo vivendo-a e pregando-a. No Evangelho deste domingo, que continua o relato da semana passada, conta-nos um dia da vida de Jesus. Certamente que, como nós, Jesus terá tido as suas rotinas, mesmo que cada rotina estivesse cheia de novidade e de esperança. Por este dia-tipo da vida de Jesus, percebemos que se entregou plenamente ao Reino de Deus, entrega essa que não dispensava falar ao povo (pregação), confortar e curar os mais fracos e doentes (milagres) e, sobretudo, não dispensava falar com Deus (oração). Três colunas essenciais para a Igreja como um todo e para cada um dos seus membros. Sempre que falamos de Jesus com palavras e obras, mas sobretudo com a própria vida, sempre que nos aproximamos dos mais fracos e desprotegidos, sejam eles quem forem, sempre que nos retiramos para dar tempo a Deus, estamos ser reflexo de Jesus no nosso mundo. Bom domingo.

Mensagens populares deste blogue

A vida de São Macário

Primeira Comunhão

São Bruno