Outra vez o deserto

Uma imagem comum ao tempo do Advento e da Quaresma é a do deserto. No Advento é João Baptista que vive no deserto e chama ao deserto as pessoas que querem mudar de vida. Com Jesus é o contrário: vive na cidade, e o deserto é o lugar onde se pode isolar para rezar. Diz-nos o Evangelho de Marcos, muito sucintamente, que Jesus esteve no deserto durante quarenta dias. Diz também que foi o Espírito Santo que o enviou para lá. Neste ano de 2015 o mesmo Espírito manda-nos percorrer este deserto de 40 dias, como Jesus o fez. Não vamos sozinhos, vamos impelidos pelo Espírito de Deus, até chegarmos ao oásis, à terra prometida, à Páscoa. O deserto não é meta, é caminho. Não levemos muitas coisas nem muitas preocupações para não nos cansarmos nem desanimarmos: que o bastão seja a Palavra de Deus e no alforge levemos a Eucaristia, o verdadeiro pão que nos sacia. Bom domingo!

Mensagens populares deste blogue

A vida de São Macário

Primeira Comunhão

São Bruno