Lembra-te que és pó

Termina esta quarta-feira de cinzas com a triste notícia da morte do antigo pároco de Marvila, meu amigo e inspirador, P. José Feliciano Rocha Alcobia. Pároco de Marvila entre 1976 e 2003, acompanhou toda a minha infância, juventude e adultez. Aliás, toda a família. Foram gerações de pessoas que casou, baptizou, deu a primeira comunhão, e até funerais.
Tenho muitas, boas e gratas recordações da minha convivência com ele. Exemplo de pastor, próximo das pessoas, sem discriminação de condições sociais de género nenhum. Se sou padre, a ele muito devo.
A mim, acompanhou-me no processo vocacional, sempre atento e apoiando-me. Ensinou-me a rezar a Liturgia das Horas. Preparava as celebrações com grande esmero e celebrava-as com piedade. Despediu-se da paróquia de Marvila poucos dias depois da minha ordenação de diácono. Na Missa da despedida tirou a "estola paroquial" e deu-ma. A mesma estola que ele sempre usou na celebração dos sacramentos. Ainda hoje a uso eu, em algumas celebrações. Fomos mantendo contacto, como amigos e irmãos.
Estava eu em Angola quando me disseram que ele estava hospitalizado e que tinha perguntado por mim. Quando regressei fui visitá-lo. Apertou-me a mão e ali ficámos a falar, da vida e das pessoas. Que queria ler o livro da Misericórdia, do Papa. Já não o leu. Mas estou certo que o regaço misericordioso do Pai o acolheu nesta hora de trevas e de cinzas. E eu dou graças a Deus por este "pai espiritual" que Deus colocou no meu caminho. Que descanse em paz.
(Foto: um baptizado em Marvila, com a "estola paroquial")

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A vida de São Macário

Oração para o início de um retiro