Vida de São Vicente

Nasceu em Huesca (Espanha) no fim do século III, de família nobre, que o confiou á direcção do bispo de Saragoça. Aproveitando no estudo e na piedade, o bispo ordenou-o de Diácono e encarregou-o da pregação na sua diocese. O diácono Vicente não somente ensinava e fortalecia os fiéis, mas também convertia a fé de Jesus Cristo grande número de pagãos. Por esse motivo foi preso e conduzido ao governador de Tarragona, que tentou, por modos brandos e com promessas de grande ventura, levá-lo a abandonar a religião cristã. Baldados esforços.
Vicente respondeu-lhe que nem as promessas nem as ameaças de morte cruel o moveriam a faltar aos seus deveres de cristão, pois que não havia maior honra do que morrer por Jesus Cristo. Ordenou, então, o governador que atormentassem Vicente com toda a severidade. Estenderam-no sobre o cavalete, ligaram-no, desconjuntaram-lhe os ossos e rasgaram-lhe as carnes com unhas de ferro. E, como Vicente se mostrasse alegre no meio de tais tormentos, fizeram-no deitar em uma grelha de ferro com laminas em brasa, cujo calor conservavam com uma fogueira, procurando os algozes aumentar a dor do mártir lançando-lhe sal nas feridas. Depois disto encerraram-no em una escura enxovia onde só podia descansar sobre pedaços de ferro e de louça. Deus quis mostrar quanto lhe era agradável a constância de Vicente, e em um momento restituiu-lhe a saúde, operou uma completa cura. Vendo tão maravilhoso facto, o carcereiro e os guardas da prisão converteram-se á fé cristã. Então o governador ordenou que deitassem Vicente em leito tão brando quanto possível e que o tratassem com todo o carinho. No momento em que Vicente foi deitado sobre esse leito, entregou a vida a Deus e foi descansar no céu, no dia 22 de Janeiro do ano 301 ou 305.
O governador, desesperado, mandou lançar o corpo do Mártir em um campo para ser devorado pelas feras; mas Deus fê-lo guardar por um corvo, que o defendeu dos outros animais. Ainda o governador o mandou lançar ao mar, e Deus ainda conduziu o corpo do martir á praia, onde os fiéis o foram buscar, dando-lhe sepultura junto da cidade de Valência, onde edificaram um grandioso Templo.

(P. J. Lourenço, op, in Festas e vida dos santos, Lisboa, 1931; imagem: Francisco Ribalta, São Vicente, séc. XVII)

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

Oração para o início de um retiro

A vida de São Macário