quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

O segundo exame


Fiz ontem o exame de fim de semestre de italiano. Escrito e oral. Correu bem, com o que "correu bem" tem de vago.
Hoje foi o segundo exame. O Cardeal Ravasi, que está por Lisboa, veio visitar o convento. Cá o recebemos, um irmão e eu, para não ficar mudo, lá pus em prática o meu mau italiano. Sobretudo a frustração de não saber usar o registo informal! O Cardeal a tratar-me por você e eu a tratá-lo por tu! Mostrámos-lhe a igreja, que apesar da chuva, o impressionou pela luz e pelos materiais. Perguntou-me quantos éramos, respondi que somos onze. Perguntou-me se eu era português, respondi-lhe que sim, e perguntou-me como é que eu sabia falar italiano. Lá lhe revelei o segredo: tenho trabalhos em Roma, comecei há quatro meses a aprender italiano e ontem tinha feito o exame. O padre que o acompanhava disse em tom jocoso: e hoje é o segundo exame!

Voltando à visita, gostou da austeridade do convento, gostou da calma e do silêncio. No final pedi-lhe que assinasse o nosso livro de honra. Deixou-nos umas palavras bonitas e próximas.
Do Convento ia para o jardim da Gulbenkian para apanhar ar e depois para as conferências que o trouxeram cá.