Aquele por quem o meu coração ama

Celebrou hoje a Igreja, pela primeira vez, Santa Maria Madalena, com grau litúrgico de festa. Pode parecer uma coisa banal, como alterar o grau de uma festa na missa que, na prática, só lhe acrescenta o Glória. Mas, para além a efeméride - hoje pela primeira vez - é o reconhecimento do papel desta mulher na vida de Jesus, e das mulheres na vida da Igreja. O título deste post é tirado da primeira leitura que hoje se leu, do cântico dos cânticos. E gosto sempre de sublinhar isto: na Igreja, só duas vezes no ano lemos uma passagem do livro dos Cânticos dos cânticos, que é sempre esta: no dia de hoje e nas vésperas do Natal. E, por quatro vezes, a esposa pergunta por aquele que o seu coração ama.
Sem dúvida que Maria Madalena amou muito a Jesus. Não um amor erótico nem platónico, um amor não-correspondido ou desmedido, mas num amor puro, de dedicação e entrega. Por isso não é de estranhar que ela esteja ali, agarrada à cruz, que o tenha procurado no sepulcro e, por isso, se tenha tornado a primeira apóstola da Ressurreição (o meu processador de texto dá erro na palavra apóstola!...) Mas ela foi, sem duvida, aquela que primeiro viu Jesus Ressuscitado e aquela que espalhou a mais nova e feliz notícia da Ressurreição. Porquê? Porque ela procurava aquele que o seu coração amava.
Honra seja dada a esta mulher que, desde muito cedo os Dominicanos adoptaram como Patrona da sua Ordem. Não só pela teologia mas por ser, também ela, pregadora da ressurreição de Jesus Cristo.
É importante seguir o coração mas, sobretudo, entregá-lo àquele que o nosso coração ama.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A fecundidade do casal

Oração para o início de um retiro