Há nascer e há morrer

Diz Qohélet que há um tempo para tudo e tudo tem o seu tempo. E que há um tempo para nascer e outro para morrer.
Nasceu no domingo, ao final do dia, o meu primo mais novo. Os pais deram-lhe o nome de João Pedro e hoje fui visitá-lo. A mãe está bem e o menino também. Eu o mais velho e ele o mais novo. com quarenta anos e sete meses de distância. Está a minha tia contente e eu fico contente com ela.
Mas também há o morrer... Não morreu ninguém mas morre um pouco de mim: com pena vou ter de  deixar o Hospital da Luz. Oficialmente terminei no dia 30 de Junho mas prolongo até finais de Agosto. O motivo da saída é o que já se sabe: assumir o noviciado a partir de Setembro. Sete anos vividos com intensidade, que me ajudaram a amadurecer na vida e a estar próximo das pessoas que mais sofrem. 
Espero, no final de Agosto, vir aqui fazer uma despedida e avaliação do que vivi no hospital. Para já fica a notícia desta pequena morte que, como tantas outras, são geradoras de vida.
E ao João Pedro que seja iluminado por Deus para que viva muito, bem e feliz.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

Oração para o início de um retiro

A fecundidade do casal