É melhor ouvir música

A esta hora muitos portugueses estarão a ouvir o Primeiro-Ministro. Eu já desisti. Cada vez que ele fala ou quer falar, ele ou um dos do seu séquito, é só para nos trazerem más notícias. E a tão anunciada entrevista que quer dar hoje, a menos que fosse para dizer que se demitia, porque não tem nem coragem nem visão para ver que está errado, vai servir para justificar o injustificável.
No entanto, fiquei contente com algumas reacções: as do D. Januário, as do Bagão Félix, as do bispo auxiliar do Porto, hoje em Fátima, que poderão ler no outro blogue. E não se trata de atacar o governo, trata-se de defender os que mais sofrem com estas medidas, que como diz o vidente da TVI, são sempre os mesmos. E o Sr. Presidente da Republica por onde anda que não fala? Estará de férias? Perplexo como grande parte dos portugueses? Estará ainda à espera desta entrevista ou de uma visita a algum lado para dizer que o país está a passar por um mau bocado? Toda a gente a "espicaçá-lo"e ele nada?
O único que lucrou com isto tudo foi o das trapalhices, com a da licenciatura incluída: enquanto se fala dos outros não fala dele. E nós cá andamos, a pensar que isto tudo é um pesadelo e à espera que alguém nos acorde. Eu, enquanto o Primeiro-Ministro justifica o mal que está a fazer ao país, pus-me a rever os mails em atraso. Enviaram-me um com um link para o Youtube, com o hino da alegria tocado na rua. Quem dera que nas nossas ruas, em vez da tristeza que se vê nas pessoas, pudéssemos ouvir acordes de alegria e de equidade. A música, nestes momentos, é mais certa, equilibrada e serena que as palavras que Passos Coelho poderia dizer. Aqui fica o vídeo:
 

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

Oração para o início de um retiro

A vida de São Macário