Actos 20, 35

1. Movo-me muito por frases da Bíblia. Dou-lhes muita importância, sobretudo quando me vêm parar à mão por qualquer motivo inesperado. Por exemplo, na última Vigília da Quaresma, no Campo Grande, distribuíram-se frases soltas da Bíblia. A mim calhou-me esta, de Isaías, que mantenho perto de mim: "O Senhor te guiará constantemente, te alimentará no árido deserto, renovará teu vigor. Serás como um jardim bem irrigado, como uma fonte de águas inesgotáveis". Não a decoro como outras, bem mais curtas mas não menos fortes. Lembro-me da frase que escolhi quando fui ordenado diácono, da de padre, da que me acompanhou nos últimos dois anos... e tenho tido muito presente, talvez pela intensidade de encontros e da vida apostólica, a passagem de Actos 20, 35: "Lembrai-vos das palavras que o próprio Senhor disse: A felicidade está mais em dar do que em receber".
Lembro-me muitas vezes desta frase, sobretudo quando, como digo, depois de um dia ou de um acontecimento inesperado e até cansativo, chego ao fim do dia e penso na verdade desta frase que não vem nos Evangelhos mas que faz parte da tradição oral dos Apóstolos e que certamente terá sido dita por Jesus.
2. Ser feliz em dar. No sábado passado fui com as crianças da Ajuda de Berço a uma quinta de uns amigos, meus e da Instituição, para passarmos o dia livre, com muita natureza, animais, pessoas conhecidas e e outras menos.
E, durante o dia, vinha-me à cabeça esta frase dos Actos. Porque a sentia e porque a via cumprir-se: o cuidado da família que nos recebeu em preparar as refeições, o teatro de sombras que nos promoveram, a alegria do "casal patriarca" em ter a casa cheia de crianças alegres e a divertirem-se, o envolvimento de uns com outros, da a possibilidade de todos poderem andar de cavalo, eu incluído! Até o Sebas, o cão que não ladrava mas brincava e que a uns meteu medo e a outros não, estava todo simpático de trás para a frente. E os que fomos com as crianças a quem pegámos ao colo, com quem falámos, com quem brincámos e com quem sentámos à mesa, que, ás tantas parecia o encontro de duas famílias numerosas, os que visitavam e os que eram visitados. E eu dizia para mim: há mais felicidade em dar do que em receber.
Já regressados, um pequeno encontro de avaliação, todos sentíamos o mesmo: uma família que foi passear; todos recebemos mais do que demos, embora a ideia era mais dar do que receber.
3. Hoje foi o último dia mais cheio do meu ano lectivo. Uma celebração com alunos dos Maristas que hoje faziam a Festa da Palavra: o empenho dos pais, a atenção dos alunos, a preparação da catequista, a Eucaristia à volta do altar, as saudações finais, todos com mais esperança "porque saímos daqui diferentes"... e, mais uma vez a frase dos Actos: Há mais felicidade em dar do que em receber. Depois, atendimento com confissões. Ouvir pecados e histórias de vida, tentando dar uma palavra de ânimo e de esperança, chego ao fim do dia e apetece-me cá vir escrever sobre Actos 20, 35, para partilhar consigo, caro leitor, uma frase que não vem na Bíblia mas que é sábia e verdadeira, vinda de quem vem: há mais felicidade em dar do que em receber.
(Fotografia de algumas crianças da Ajuda de Berço a verem os amigos a andar de cavalo)

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

Oração para o início de um retiro

A fecundidade do casal