Escritos e manuscritos


Primeiro dia de trabalhos. Reúne-se a Comissão Litúrgica da Ordem. Todos bem, graças a Deus, e graças redobradas, todos com muito trabalho.
Partilhas do que fizemos durante este tempo e aprovada a Acta da última Assembleia, começámos os trabalhos. Um encontro com o Arquivista da Ordem, que nos falou do Arquivo e, como a Comissão vai mudar, achou-se por bem que os arquivos da Comissão passassem para o Arquivo da Ordem. Mostrou-nos, uma vez mais, o Protótipo de Humberto de Románs e, a meu pedido, fez-nos uma visita guiada ao Arquivo Geral da Ordem. E foi um deslumbramento: o mais antigo documento que temos é a Bula da Aprovação da Ordem, que vimos, e também um Breviário do século XIII que, segundo a tradição, foi usado por São Domingos e pelos seus sucessores (a fotografia deste post é desse Breviário).
A parte da tarde foi dedicada à parte mais técnica. Dois grupos: um para a música e outro para as publicações. É bom de ver, não fui para onde queria, fiquei no grupo das publicações, outra vez o latim, onde se aprende muito e reparo que não sei nada do assunto. Uma tarde de trabalho cansativo, ao mesmo tempo que a "velha Comissão" me vai passando os trabalhos em curso, uma vez que esta será a última reunião e, em Novembro já será a nova Comissão a continuar os trabalhos.

Não podia acabar melhor o dia quando, como uma tradição que se tem vindo a manter, encontramos pizzas para o jantar. É sempre assim às terças-feiras. E digo sempre: a Irmã cozinheira devia ter uma estátua no jardim do Convento. Passei pela cozinha e agradeci as pizzas.
Depois do jantar um pequeno encontro informal com um irmão - no Belvedere - o melhor lugar do convento, com vista para Trastevere e, ao fundo, a cúpula do Vaticano. Como creio que já tive ocasião de aqui escrever, quando o Papa João XXIII veio a Santa Sabina e lanchou no Belvedere (o miradouro), olhando para o Vaticano disse ao Mestre da Ordem: "Esta é a melhor vista sobre o Vaticano. E isto é infalível porque o diz o Papa!"
E assim se passou o da, entre escritos e manuscritos, entre o passado e o futuro, que a Deus pertence. Agora é tempo para as últimas orações, na cela de São Domingos, com os que rezam e pelos que não rezam, com os que crêem e pelos que não crêem, e para a salvação das almas, que era a grande preocupação de São Domingos. Até amanhã, se Deus quiser.

Mensagens populares deste blogue

A vida de São Macário

Primeira Comunhão

São Bruno