Jesus e as crianças e as crianças de Jesus

Ontem, na Missa dominical do convento, foi dia de festa e de emoção. Festa pelo Corpo de Deus e festa porque quatro crianças foram baptizadas e duas delas com mais uma que se juntou fizeram a sua primeira comunhão. E de onde veio a emoção? Veio do facto de uma vir cá à Missa com o pai e que, andando na catequese numa paróquia que não a nossa, pediu para ser baptizada na igreja do convento porque gosta desta igreja. Depois, duas meninas do Lar Madre Teresa de Saldanha, a Rafaela, de seis anos e a Andreia que, não sabendo bem a idade, andará pelos nove. E, da Ajuda de Berço, baptizou-se também um rapaz, o Mamudo, de dez anos, que pediu para acrescentar o nome "José". A emoção vem daqui. Aprenderam a conhecer e a amar Jesus nas instituições onde vivem. Por vontade deles quiseram ser baptizados e, o Rúben, quis fazer a primeira comunhão. E como a generosidade tem de transbordar, muita gratuidade houve à volta desta festa: o ofertório da Missa será distribuído por estas duas instituições, o convento ofereceu o refeitório para fazermos o almoço com os que foram baptizados e seus colegas e padrinhos, A Ajuda de Berço ofereceu o almoço e a mão-de-obra para o preparar e preparar o refeitório, o Lar ofereceu os doces e a mão-de-obra para deixar tudo arrumado.
Quando fomos partir o bolo da festa, em forma de anjo, as directoras das instituições disseram umas palavras. Depois perguntei aos baptizados se queriam dizer alguma coisa. Ninguém quis a não ser a pequena Rafaela, com os seus seis anos: "Eu queria dizer uma coisa: eu gostei muito de ser baptizada".
Ontem, no convento, sentiu-se o refrão cristão tão conhecido: onde houver caridade e amor, aí habita Deus.
E peço a Deus que guarde estas crianças no seu amor e recompense todos os que cuidam destas crianças tão amadas por Jesus.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A fecundidade do casal

Oração para o início de um retiro