A partir de amanhã

Pela primeira vez começarei a Quaresma a pregar um retiro. Vou pregá-lo, até domingo, aos seminaristas da diocese de Lamego. Esta quaresma terá, pelo menos para mim, uma dimensão eclesial. Os recentes acontecimentos sobre a resignação do Papa ao pontificado devem-nos fazer reflectir sobre o que significa ser e pertencer à Igreja. Amanhã, toda a Igreja entra uma vez mais neste convite à conversão. A Igreja precisa de conversão e purificação. Não só a Cúria romana mas cada um de nós.
Ao longo da Quaresma irei colocar, às quartas e às sextas, dias penitenciais na Igreja, uma passagem da Bíblia para ajudar à reflexão. Chamar-se-á "Nem só de pão vive o homem".
Mas agora, enterrado o Entrudo e a começar a Quaresma, deixo um poema de fr. José Augusto Mourão, para convidar à Quaresma. Seja o tempo que agora começa o tempo propício para ouvir Deus; e que a sua voz mude os nossos corações.
"recolha-me para me dizer
escutando-te,
Deus das minhas pobres dissonâncias
empresta-me as asas do teu anjo
que me transportem ao deserto
derrama a água da tua misericórdia,
não o vinho da tua ira
sobre a minha cabeça
e dar-te-ei em todo o tempo graças
Deus que vens do futuro
e para lá convocas os meus olhos
"

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A vida de São Macário

Oração para o início de um retiro