Um minuto para a Quaresma - 8

Partilhar a partir do nosso excesso
Estou profundamente convencida de que devemos aprender a partilhar. Partilhar não significa deixar tudo e ir viver para uma barraca, como eu fiz, nem sequer deixar o conforto que temos hoje em dia. Partilhar é mudar o estilo de vida, fazer uma séria revisão de vida de vez em quando, construir um hospital para os pobres, sei lá bem o quê mais… Para mim o luxo é um verme que corrói o coração do homem. E descobri que ter renunciado às coisas supérfluas fez-me feliz.
--------------------------------------------------
Madeleine Cinquin nasceu a 16 de Novembro de 1908 em Bruxelas, na Bélgica. Fortemente traumatizada pela morte acidental do seu pai, que morre diante dela em Ostende, decide tornar-se religiosa.
Em 1931 entra na ordem de Nossa Senhora de Sião onde toma o nome de Soeur (Irmã) Emmanuelle e torna-se professora de letras e filosofia no Egipto, Turquia e Tunísia. Quando se reforma como professora, a enérgica religiosa decide consagrar-se inteiramente aos pobres e ir viver para o Cairo, com os pobres de um bairro de lata. Ela realiza assim, alegremente, a sua vocação primeira: ir ao encontro e ajudar os mais pobres dos pobres. Ela consegue o impossível: constrói escolas, casas e centros de saúde, sustentados pelas ofertas que lhe chegam de todo o mundo. Entretanto ela funda a associação “os amigos de soeur Emmanuelle” que ajuda mais de 60 mil crianças em todo o mundo. Morreu a 20 de Outubro de 2008, em França.
(Soeur Emmanuelle)
(Traduzido de um retiro de Quaresma online)

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A fecundidade do casal

Oração para o início de um retiro