Um pai e dois filhos

Grandes ensinamentos nos transmite a parábola do filho pródigo que escutaremos na liturgia de amanhã. Os bons que vão desde o arrependimento que leva à conversão, atitudes do filho mais novo, até ao perdão incondicional reflectido nos braços abertos do pai que em cada dia espera pelo regresso do filho. E também o que devemos evitar do filho mais velho: preferir o amuo à festa e ver um pai como um patrão em vez de o ver como pai amoroso que quer partilhar a sua vida.
Diante desta parábola, o mais fácil seria identificarmo-nos com algum deles, muito provavelmente com o filho pródigo. Mas não seremos mais o filho mais velho, críticos e azedos em relação a tudo e a todos? Bom domingo.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A vida de São Macário

Oração para o início de um retiro