Trasladação do corpo de São Domingos

Hoje, nós, dominicanos, celebramos uma das duas festas que o nosso calendário dedica a São Domingos: a festa da trasladação do seu corpo. Foi em 1233, em Bolonha, durante um Capítulo Geral. O então Mestre da Ordem, Beato Jordão de Saxónia, sucessor de São Domingos no governo da Ordem, no seu Opúsculo sobre as origens da Ordem dos Pregadores, conta de uma maneira muito real e, ao mesmo tempo, sentimental, como tudo aconteceu. Como do medo rapidamente passaram à alegria.
Também por estes dias entreguei numa tipografia um livro que está a ser impresso e a que dei o nome de Santos e Celebrações da Ordem dos Pregadores. É um livro em que se apresenta o Calendário litúrgico dos Dominicanos para a Província de Portugal e, para cada Santo ou celebração, um pequeno apontamento histórico-biográfico com algumas orações. Deixo aqui, como antecipação, o que se refere ao dia de hoje:
 
São Domingos quis ser sepultado aos pés dos seus irmãos, na Igreja de São Nicolau das Vinhas em Bolonha, onde morreu. Muitos doentes, oprimidos por diversas doenças, confessaram terem sido curados junto da sua campa. Os frades irmãos estavam, porém, reticentes em reconhecer os milagres e partiam os ex-votos dos fiéis. Finalmente, por vontade expressa do Papa Gregório IX, grande amigo de São Domingos, e na presença de Teodorico, arcebispo de Ravena e legado pontifício, de Jordão de Saxónia e de muitos irmãos que celebravam em Bolonha o Capítulo Geral, o corpo de São Domingos foi trasladado para um jazigo de mármore. Então, do santo corpo, começou a exalar um odor maravilhoso, manifestando-se claramente a todos, tal como o nosso fundador era um bom odor de Cristo. A Missa foi celebrada solenemente pelo arcebispo. Foi no dia 24 de Maio de 1233. A partir deste acontecimento, iniciou-se o processo de canonização, findo o qual, a 3 de Julho de 1234, Gregório IX, o canonizou. Mais tarde, o bem-Aventurado João de Vercelli, sexto Mestre da Ordem, edificou um túmulo mais digno, em mármore, onde foi colocado o corpo de São Domingos, a 5 de Junho de 1267.

Elogio
Em Bolonha, na transladação de Nosso Pai São Domingos, exímio doutor, o seu corpo santo exalava um admirável odor que a todos maravilhava, reconhecendo com toda a evidência que emanava o santo odor de Cristo.

Oração
Deus eterno e omnipotente, que quisestes iluminar a vossa Igreja com os méritos e ensinamentos de São Domingos, nosso pai, concedei, por sua intercessão, que nunca nos faltem os auxílios temporais e alcancemos os bens eternos. Por nosso Senhor, Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.
(imagem: Zurbarán, São Domingos de Gusmão, séc. XVII)

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A vida de São Macário

Oração para o início de um retiro