A água viva que é Cristo

Começamos a celebrar o terceiro domingo da Quaresma. Neste ano passamos a ler, neste e nos próximos domingos, episódios do Evangelho de João. O deste domingo é o encontro de Jesus com uma samaritana, junto ao poço de Jacob. Os pormenores, quase todos com uma segunda intenção (por exemplo, o facto de a mulher ir à fonte na hora de mais calor, que significa o nosso cansaço e a nossa sede), ajudam-nos a enquadrarmo-nos não só no relato mas também a aprender de Jesus. Aprender e beber de Jesus. Se bem que é Jesus quem pede de beber à Samaritana, no final é a samaritana que pede a Jesus que lhe dê dessa água viva que ele promete.
Facto curioso é que a Samaritana não tem nome. Porque é cada um de nós, que vem com o seu cântaro, a nossa vida, para beber de um poço mais profundo, uma água mais fresca e mais cristalina, que nos sacia para a vida eterna.
Na preparação para a Páscoa, em que renovaremos as promessas do nosso baptismo, fazemos esta preparação espiritual, desejando matar a nossa sede naquela que é a verdadeira cisterna: Jesus Cristo, fonte de água viva. Bom domingo!

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A fecundidade do casal

Oração para o início de um retiro