In memoriam


Faleceu, no sábado passado, um irmão da minha Comunidade. Assim de repente. Homem sempre bem humorado, com o seu feitio muito especial, de grande carácter, admirado e reconhecido pelos vários sítios por onde passou, desde Moçambique, hospital da prisão de Caxias, paróquia de Caxias, Comunidade neocatecumenal que o apoiou e nos apoiou muito nestes últimos anos da sua maior debilidade.
Foi também o primeiro frade que morreu desta minha comunidade desde que sou prior.
Foi ontem o funeral.
Depois de alguém morrer chegam as partilhas de quem viveu com ele, situações engraçadas, os inevitáveis "coitadinho do fr. Vicente", que são culturais e não de sentido literal.
Uma coisa que ontem me disseram foi que ele gostava muito de uma canção dos neocatecumenais e que andava a pedir que se cantasse quase todas as semanas. E como não há acasos, a música chama-se "leva-me ao céu". Não consegui encontrar a música mas tenho a letra.
Em memória deste homem de quem cuidei - mal ou bem, não sei - aqui fica a letra desta música que ontem se cantou no final da Missa e na procissão a caminho da sepultura:
Leva-me ao céu,
ó Senhor.
Porque morrer,
É certamente o melhor,
estar contigo.

Uma coisa te rogo,
somente essa te peço,
não duvidar nunca do teu amor,
não duvidar nunca de ti,
estar contigo.

Leva-me ao céu,
ó Senhor.
Porque morrer,
é certamente o melhor,
estar contigo.

Ó que bom,
ó que doce,
foi para mim o teu amor,
ó que bom,
ó que doce.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A vida de São Macário

Oração para o início de um retiro