IEOP - Crónica do terceiro dia

Faço a esta hora a crónica deste terceiro dia porque amanhã já será o final e pouco tempo terei de vir aqui escrever.
O dia foi calmo, de intenso trabalho. Ajudou a chuva que não causou grande dispersão pelos jardins da casa onde estamos. Durante o dia de hoje os Padres Provinciais escutaram dois Assistentes do Mestre da Ordem: o da formação inicial e o da vida inteletual. No fim de casa intervenção houve ainda tempo para alguma troca de impressões sobre a temática da pós-modernidade em contextos concretos e importantes da vida dominicana: formação e estudo.
O Mestre da Ordem, num trabalho paralelo, tirou toda a manhã para falar com os Provinciais que quisessem resolver algum assunto diretamente com ele. É esta atitude de proximidade e de escuta que mais gosto no fr. Bruno: um irmão entre irmãos.
Na parte final do dia começaram as questões práticas e finais do Encontro: distribuição da fotografia de grupo, envio por email de todas as intervenções, análise de pedidos de ajuda para alguns acontecimentos dominicanos europeus e, finalmente, a escolha do lugar do próximo IEOP e a temática. Decidiu-se que, no próximo ano, na semana depois da Páscoa, como sempre, o encontro será na Alemanha, em Mainz, no convento dos estudantes. Foi uma autoproposta, aprovada com uma grande ovação.
Depois do jantar - hoje a ementa foi típica portuguesa: cozido ao almoço e bacalhau à lagareiro ao jantar - como costume, subiu-se à "sala superior", um espaço de convívio, informal, onde houve abundância de vinho do Porto, tão apreciado pelos participantes, seja branco seja tinto.
Amanhã será dia de levantar cedo. Mais cedo que os outros dias. Explicarei porquê, porque o dia de amanhã merece uma crónica especial.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A vida de São Macário

Oração para o início de um retiro