Dias de chuva

Confesso que não sei se escrevo por causa desta fotografia ou se é esta fotografia que me faz escrever. Tirada num monte, lembra, ao mesmo tempo, a solidão e a companhia.
Que é como às vezes me sinto: sozinho e acompanhado.
Mas venho de uns dias de descanso, que é o mais importante. Estes dias são, cada vez mais, dias de reflexão e de uma certa "revisão de vida". Apercebo-me do que faço e do que digo, do que de devia ter travado e ter adiantado, de como atuar e muito suportar. Disse-o há dias e digo agora: momentos calmos e de alguma solidão só fazem bem: obrigam-nos a entrar em nós próprios, mesmo quando queremos fugir.
Gostava de ser pintor para pintar esta fotografia: um campo verde, uma árvore, um tanque e um pilar. O céu cinzento e chuva mansa a cair. Não sei se sou a fotografia ou se a fotografia sou eu; se sou tudo ou não sou nada.

Mensagens populares deste blogue

A vida de São Macário

São Bruno

Oração para o início de um retiro