Fim de ano - o meu programa


Este é o segundo ano que passo da mesma maneira este último dia do ano. Aliás, tem vindo sempre a reajustar-se. A maia antiga celebração tem oito anos: começa às 19 horas, com a celebração da Missa, numa comunidade das Irmãs Missionárias Dominicanas do Rosário. A celebração é aberta às pessoas que vivem por ali, todos os anos as mesmas, faltando uma ou vindo outra que no ano anterior não pôde vir. Como dizem as Irmãs, "Já é uma tradição o nosso 31 de Dezembro". Depois da celebração, jantar com as Irmãs. Confesso que é dos jantares que mais gosto: simples, tranquilo e alegre. Este ano, como mudou a superiora mudou também a ementa: do peixe passou-se à carne. Trocamos informações, jantamos, não falta o espumante e um bocadinho de anis "para ajudar à digestão", dizem as Irmãs. No final do jantar entrego-lhes o Santo Protector. São as primeiras a receber. Amanhã, na Missa das 12h entregarei a quem vier à Missa.
Terminado o jantar regresso ao convento. Se está bom tempo venho a pé, senão tenho que vir de transportes, como foi hoje o caso.
Já no quarto é tempo de esperar a meia-noite. Oiço música de Natal, da Clássica, enquanto escrevo a homilia de amanhã. Para este ano escolhi o Oratório de Natal de J. S. Bach. Se me sobrar tempo arrumo papéis. E às 23.30h vou para a igreja. Aí rezo o Ofício de Leituras, o Terço e as Completas. Tempo de agradecer a Deus todas as pessoas e as coisas que foram boas para a minha vida. E também de pedir um ano mais de Deus, sempre mais Dele. Levo para a igreja o meu santo protector para lhe rezar quando virar a estampa e ver quem é.
Só depois disto, e já no quarto, respondo a mensagens de felicitações de bom ano e comemoro à minha maneira o novo ano.
Este tipo de passagens de ano - que começaram por ser assim porque as companhias conventuais foram desaparecendo - tornaram-se agora uma opção. Estou bem assim: comigo, com as minhas coisas e com o meu bom Deus.
Deixo aqui, em tom de esperança, um pensamento de que gosto muito, atribuído a São Francisco de Sales: "É necessário abandonar o passado à misericórdia de Deus, o presente à fidelidade e o futuro à divina Providência".
Bom ano de 2013, com a protecção de Santa Maria, Mãe de Deus.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A fecundidade do casal

Oração para o início de um retiro