Os não esquecidos da Páscoa

Depois da Páscoa, mais do que fazer avaliações gasto tempo em lembrar aqueles que costumavam estar nas celebrações e, maior parte deles, por doença, não estiveram. Viveram a Páscoa em casa ou no quarto, na cama de um hospital ou a fazer exames; o cansaço da doença e talvez o peso da vida não lhes tenha dado o ânimo que precisavam para participar. "Ainda não é a hora", recebi num mail; "Muito unido", num sms... E assim se fazem presentes, associam-se a nós, que achamos ter mais saúde, ou pelo menos aguentamos mais. Mas não estão esquecidos. Olhamos para a Cruz e vemos em Cristo o seu rosto; e ficamos junto ao túmulo, na expectativa da ressurreição.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A vida de São Macário

Oração para o início de um retiro