As aparências


Na primeira leitura do Ofício de Leituras deste domingo, leu-se uma passagem do Primeiro Livro dos Reis. Para mim das mais bonitas dos livros históricos da Bíblia: a unção de David como rei. O episódio é todo ele revestido de sentimento e de pormenores. Deus diz a Samuel que vá a Belém para ungir aquele que Ele tinha escolhido para suceder a Saúl. Em Belém vive um homem com sete filhos. Samuel ao ver o mais velho pensou que era ele o escolhido de Deus. Mas Deus diz-lhe ao ouvido: "Não te impressiones com o seu belo aspecto, nem com a sua elevada estatura, porque não foi esse que Eu escolhi. Deus não vê como o homem; o homem olha às aparências, o Senhor vê o coração". E assim correram os outros cinco filhos e será o mais novo, o que está a guardar o rebanho, David, que o Senhor escolhe para suceder o rei morto.
Ver os outros com os olhos de Deus é o desafio para o crente. Não às aparências mas ao coração; não ao que as pessoas têm mas ao que as pessoas são.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

Oração para o início de um retiro

A vida de São Macário