D. Albino Cleto: um grande (amigo) bispo

Foi com tristeza que abri um mail, esta manhã, que me anunciava a morte do bispo D. Albino Cleto. Diz-se que para uma pessoa ser boa ou tem que morrer ou mudar de terra. É um dito que só se aplica para os maus. D. Albino, foi um grande bispo. Grande e bom. A primeira vez que lhe falei foi em 1984 (tinha eu 9 anos!), quando foi pela primeira vez, como bispo auxiliar de Lisboa, a Marvila, crismar (naquele tempo dizia-se fazer a visita pastoral). No final da Missa o pároco apresentou a minha família (avó com filhos e eu, neto) ao D. Albino, como uma família que estava a atravessar um mau bocado (o meu avô tinha morrido e a minha avó, sozinha, com 8 filhos em casa). Lembro-me do D. Albino me dar um calduço e dizer-me: vê lá, não dês muito trabalho à tua avó!
Depois, cada ano, lá vinha ele, e eu a crescer, e falávamos sempre, coisas de circunstância, claro está. O D. Albino tinha sido vice-reitor do Seminário de Almada. Por isso, ia lá frequentes vezes, à segunda-feira, almoçar com os "rapazes". Na primeira que lá foi, depois de eu entrar no seminário, fez-me uma festa: que me conhecia muito bem, de Marvila, bom rapaz, que me tinha crismado (aqui tive de dizer que não tinha sido ele, mas não serviu de nada porque, cada vez que me via, dizia sempre: fui eu que o crismei!) e que tratassem bem de mim.
Mais tarde, já bispo de Coimbra, encontrámo-nos lá, num concerto. Lá me voltou a falar, "o rapaz de Marvila que eu crismei", e atualizámos informação: que eu não era padre diocesano, que estava nos dominicanos. Perguntou-me se estava feliz e disse-lhe que sim. Respondeu-me: ainda bem. Precisamos de padres felizes.
A última vez que nos vimos foi na paróquia do Campo Grande, no funeral do P. João Resina. Uma pequena conversa, muito simpática, como sempre.
E hoje este bispo, tão próximo da realidade do povo de Deus, atento, bem disposto, com o seu acento beirão, que parava para falar e ouvir as pessoas, regressa para o colo de Deus.
Devo-lhe muito. Não pelo muito que nos dissemos mas pela atenção que sempre teve para comigo. É para mim um exemplo. Neste dia dou graças a Deus pela sua vida. Que Deus o recompense dos seus trabalhos e que descanse em paz.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A fecundidade do casal

Oração para o início de um retiro