Música para descontrair

Escrevo este post ao som de um cd acabado de comprar. Música clássica, a minha preferida, a que me concentra e a que me acalma e a que me entende num dia muito ritmado como o de hoje. Oiço a 5ª sinfonia de Widor, em órgão.
Embora a data da morte de São Domingos seja o dia 6 de Agosto, a Igreja só o celebra a 8. Vai ser amanhã. Normalmente não o festejamos porque muitos irmãos estão de férias (eu próprio era para estar já no meu casulo da aldeia serrana de Feirão...); mas este ano foi diferente. Acolhemos um encontro de jovens de todo o mundo, ligados aos Dominicanos. Está a ser em Fátima. E amanhã vêm a Lisboa para celebrar, no "meu" convento, o dia de São Domingos. Eles que são um pouco mais de 100 com mais cerca de 300 pessoas, portuguesas, que se juntam a esta celebração. É, portanto, um dia grande e celebrado em grande.

Mas preocupa-me o lanche que se segue depois da Missa... A logística sempre me preocupou e me alterou. O receio de correr mal... Será que a comida vai chegar? Onde vou colocar tanta gente? E as bebidas? Enfim... razão tinha Jesus quando disse a Marta que andava muito atarefada e inquieta com o que não era a melhor parte. Mas hoje tomo o partido de Marta: não gostou Jesus de ter sido bem recebido? Para que uns possam desfrutar não é preciso que outros cuidem?

Desde que vim viver para este convento que frequentemente me vem à cabeça uma frase que aqui aprendi e que me ajuda nestes momentos de maior desassossego neste tipo de situações: "O acolhimento é mais belo que a recusa". Dar o meu melhor para que quem vem se sinta bem, acolhido, como Jesus em casa de Lázaro.
Depois virão as férias. Este ano prejudicadas... Lá irei para a minha serra apanhar o ar fresco e descansar os olhos na beleza da criação.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A fecundidade do casal

Oração para o início de um retiro