À procura do método

Hoje não estou nos melhores dias para escrever. Já tentei duas vezes quer o tema quer os modos, mas não me estavam a agradar. Pode ser que à terceira seja de vez, e mudando de tema os modos também mudem.
Na semana passada tive uma reunião com um rapaz, reunião essa que já tinha sido meio apalavrada mas que nunca se tinha realizado mas que, a propósito de uma folha para assinar, deu para nos sentarmos e falarmos um pouco.
Dessa reunião coincidiu um tema, o tal tema da reunião apalavrada. Que era bom haver aqui no Convento um grupo de reflexão e ação, de espiritualidade dominicana. Destinado a casais que aqui vêm à Missa, que têm uma base comum - a família - mas que do convento sabem pouco mais de que são frades dominicanos. (Uma vez um senhor ficou admirado por lhe dizer que vivia no convento. Pensava que só cá vinha aos domingos "rezar a Missa"!)
Mas, voltando ao tema, a ideia é formar um grupo de casais, que queiram fazer parte do carisma dominicano, que passa pela oração, estudo, pregação e vida comunitária. Não há pretensões de viverem em comunidade mas sim, ajudar esta comunidade.
Durante estes seis anos de prior, que começam a ver o seu fim, nunca gostei de propor grupos ou atividades. Sempre preferi acolher ideias e atividades e, a partir dessas necessidades, formar os grupos. Foi assim que nasceram os grupos de preparação para o Matrimónio, e os de preparação para o Crisma, este ano com 12 adultos que irão ser crismados no próximo dia 2.
Mas este é diferente. Este é um grupo para durar, sem metas objetivas e que não quer repetir os esquemas das equipas de Nossa Senhora. É preciso, por isso, encontrar um método para este grupo. É o que o João e a Ana estão a fazer. Esperemos que ainda antes do fim do mês de Junho possamos fazer uma primeira reunião com os casais que aderirem, para, em Outubro, poder arrancar.
Mas fiquei com outra preocupação. Eu e se calhar algumas pessoas que não são casal e que gostariam de se integrar também num grupo. Há uns meses, um outro rapaz, este chama-se Pedro, numa conversa de "corredor", também me tinha manifestado esta ideia de formar um grupo. Sem grandes parâmetros, nem de idade nem de estado civil, mas que fosse também de reflexão e espiritualidade dominicana. Decidi falar com ele. A ver se a mesma ideia, num grupo diferente, pega. Gostaria muito que houvesse gente que se identificasse com a epiritualidade e o modo de vida dos dominicanos. Se leu este texto e está interessado (sem compromisso para já), não hesite. Envie-me um mail.
Os grupos têm uma força muito grande, sabemos que não estamos sozinhos, compromete-nos, envia-nos. Ao João, falei-lhe de um vídeo que recebi há uns anos atrás, sobre estas ideias que se repartem. Afinal somos muitos com as mesmas convicções mas, se não sairmos de casa, entramos num círculo fechado e não anunciamos o Evangelho. aqui deixo o vídeo. É sobre o terço.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A vida de São Macário

Oração para o início de um retiro