Imaculada sem feriado



"Que por intercessão de Nossa senhora saibamos escolher mais a vontade de Deus do que a nossa, escolher o amor de Deus do que o nosso e escolher o risco de Deus em nos dar a liberdade quando nos criou". Foi mais ou menos com estas palavras que o Arcebispo de Paris terminou a homilia de hoje. Numa Missa espantosamente simples e bela (todos reparámos que foi pouco mais que uma hora), num dia de Imaculada Conceição que em França não é feriado, numa Catedral que se impõe na cidade de Paris, foi assim o meu final de tarde.


Estes dias têm sido de muito andar e muito ver. Ontem foi dia de ver o cemitério do Montparnasse, onde estão sepultadas pessoas importantes de Paris como J-P Sartre e a esposa, Saint-Saëns, o Panteão nacional, onde estão ilustres como Voltaire, Marie Curie, Victor Hugo, Rousseau e muitos outros. O dia de hoje foi a subida ao Sacré-Coeur com a sua vista espantosa sobre a cidade e a igreja esquecida de Saint-Pierre de Montmartre onde Santo Inácio fundou a Companhia de Jesus e a visita à igreja de Santo Eustáquio onde Moulière e o Cardeal Richelieu foram baptizados.


A cidade é bonita. Entre nós vamos falando do pseudo ateísmo francês: muita separação entre Igreja e Estado, muita laicidade mas vejamos: o que seria desta cidade sem as igrejas e sem as obras de arte religiosas? O bom ateísmo esvaziaria as paredes do Louvre e entregava os quadros às Igrejas de onde foram tirados... não contaria com as igrejas para os concertos de música... entre muitas outras coisas.


Hoje, dia 8 de Dezembro, não foi feriado aqui em Paris. Mas os sinos das torres da Catedral assinaram bem a festa: "Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós".
(Esta imagem é a de Nossa Senhora de Montmartre - Igreja de São Pedro)

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A vida de São Macário

Oração para o início de um retiro