Trás da Sé


Estou em Lamego. Após uma viagem relativamente rápida - antigamente demorava-se quase meio dia para cá chegar - eis-me nas berças. E como cheguei à hora do almoço, decidi almoçar num pequeno restaurante; pequeno, bom e barato.
Trás da Sé. Podia ser um lugar de encontro combinado (encontramo-nos atrás da Sé), mas é o nome deste restaurante. As paredes, de pedra tosca, que sobressaem do cimento, estão pintadas de branco, verde, vermelho e azul. Tem também pendurado umas cabaças seca, a servir de decoração e ainda umas flores secas espalhadas. isto acima de nós. Ao nosso nível, quando nos sentamos, vemos mensagens escritas em papel próprio, centenas, lavradas pelos comensais que por aqui passam. Cores variada, línguas varidas: inglês, francês, alemão e até em português, não estivessemos nós na nossa terra. Este restaurante já vem indicado nos guias turísticos, não me admira, por isso, que veja entrar turistas estrangeiros, de guia turístico na mão, a pedir uma mesa para almoçar. Completamente cheio. Felizmente que, como vou sozinho, me arranjam logo mesa, mesmo à entrada. Virado para a Sé. As pedras velhas, escuras, desgastadas, o castelo lá em cima a marcar presença, os turistas na rua á espera de mesa livre...
A ementa é pobre. E pobre aqui é qualidade. Porque nestas zonas, que sempre foram pobres, até na gastronomia, podemos deliciar-nos com os sabores autênticos dos alimentos. Ementa pobre e pouco variada. É a típica desta terra. Desde o borrego, às trutas, cabidela, arroz de feijão com salpicão... a escolha é rápida, o almoço também porque almoçar sozinho não tem interesse e saio de lá satisfeito pela calma da viagem e por ter chegado ao destino. Como vim para o Mosteiro das Irmãs Dominicanas, onde vou ficar esta noite, trouxe-lhes, da pastelaria do lado "Gradinhas do Convento" para fazer pendant. São uns bolos secos, em forma de grelha, grade, que servem perfeitamente para a ocasião. Até as grades podem ser doces.
Como este post resvalou para a culinária espero não ter cometido o pecado da gula...

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A vida de São Macário

Oração para o início de um retiro