Pedras no caminho

Li, há uns anos, um livro do Ir. Roger, de Taizé, com uma meditação para cada dia do ano. Um parágrafo, uma meditação, um pensamento, uma oração, para nos colocar em sintonia com Deus e com o seu Evangelho. Não o li de uma forma pedagógica: cada dia uma meditação. Não. Li-o de fio a pavio. Algumas aproveitei parar enviar por mail, no final de alguns avisos que fazia às pessoas ligadas à igreja do convento. O livro chama-se "Em ti a paz". Quando o li ainda não tinha saído a tradução portuguesa, li-o em espanhol.
Há uma meditação que me acompanha em momentos mais desagradáveis: "em tudo a paz de coração, a alegria serena. Muito tempo antes de Cristo, um crente rezava assim: «Só em Deus descansa a minha alma; dele vem a minha salvação. Só Ele é o meu refúgio e a minha salvação,
a minha fortaleza: jamais serei abalado». E no Evangelho, Cristo volta a dizer-nos: «Deixo-vos a paz; dou-vos a minha paz. Não é como a dá o mundo, que Eu vo-la dou. Não se perturbe o vosso coração nem se acobarde»
".
São palavras como estas que nos ajudam a mergulhar nas ondas violentas do mal, para que não rebentem na nossa cara e nos atirem para o chão, ou a tentar andar num caminho pedregoso. às tantas parecem aqueles jogos de violência onde se não se mata é-se morto.
O Evangelho diz-nos que não. Diz-nos que as pessoas e os acontecimentos adversos, que por vezes, nos são arremessados como vinganças ou pura maldade.
A paz do coração e a alegria serena... a que Deus nos dá e nada nem ninguém nos poderá tirar. Com Deus e com quem caminha connosco. Aí as ondas são desafios e, afinal, as pedras fazem uma boa paisagem.
Aqui fica um poema de Fernando Pessoa, sobre o que fazer com as pedras que encontramos no caminho:
"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes
mas não esqueço de que minha vida
é a maior empresa do mundo...
e posso evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver
apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas
e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si,
mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um “não”.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo…"

Mensagens populares deste blogue

A vida de São Macário

São Bruno

Oração para o início de um retiro