Por mares nunca dantes navegados

Vim à Madeira. Primeira vez. Vim para um casamento e aproveitei vir uns dias antes para a conhecer. E impressiona-me. Impressiona a altitude, impressiona a grandeza (a Madeira é grande!), impressionam ainda mais as imagens que vimos passar na televisão daquela tragédia de Fevereiro de 2010. As ribeiras, que agora andam mansas, as levadas... tudo. E impressiona o mar. Mar por todo o lado mas mar limpo, Atlântico, portanto.
Tenho passado os dias a visitar lugares, graças a pessoas que tão generosamente me levam para os lugares mais distantes. Os mapas/guias, enganam muito. O Monte não é assim tão perto para se poder ir a pé (e a subir!), e não está tudo concentrado na capital. Hoje, os pais de um confrade, convidaram-me para almoçar e levaram-me à parte norte da ilha: Ribeira Brava, Encumeada, São Vicente e Ponta Delgada. Sempre o mar...
E não posso deixar de referenciar a gastronomia: Trouxe o propósito de fazer as pazes com as frutas tropicais (excepto o ananás que continua a estar proibido na minha dieta). Tenho de destacar o atum de cebolada com semilha (aqui a batata é outra espécie) e pimpinela (o noso chuchu) e, de sobremesa, gelado de pitanga!!! Como disse uma criança que estava ao almoço, o gelado que mais adoro!
Dois pormenores: ontem estive na celebração dos 499 anos da criação da Diocese do Funchal (vários bispos foram dominicanos). Encontrei padres amigos, religiosas, as minhas irmãs dominicanas... E hoje, visitei a igreja de Santo Amaro, uma igreja do ano 2000 muito bonita: sobriedade e bom gosto. Até descobri que este blogue é lido na Madeira!
Espero amanhã trazer mais notícias desta minha descoberta da Pérola do Atlântico. E, no sábado, espero fazer todos os agradecimentos, porque todos têm sido muito simpáticos comigo. Deixo-vos cm esta fotografia de Ponta Delgada.
 

Mensagens populares deste blogue

A vida de São Macário

São Bruno

Oração para o início de um retiro