A casta Susana e a mulher adúltera


Hoje, na Missa, foi lida a extensa passagem do livro de Daniel, chamada "casta Susana". Para quem não sabe a história ela é fácil de contar: Susana era uma mulher bonita, cobiçada, e que era casada com um homem rico e importante. Tinha, à frente, de sua casa jardins e piscinas. Um dia apeteceu-lhe tomar banho no jardim. Mandou as criadas fechar os portões mas, é molestada por dois anciãos, que tinham ficado dentro do jardim. Querem que Susana se entregue a eles ou então vão lançar um boato de que ela estava com um jovem. Susana não tem um dilema. É óbvio, por isso é casta, que opta pela verdade: "prefiro cair nas vossas mãos sem fazer nada do que pecar contra o Senhor". Gritaria puxa gritaria, os criados abrem as portas do jardim e os velhos começam a dizer que a apanharam com um jovem que entretanto fugiu. Faz-se o julgamento e Susana é condenada. Enquanto caminho apara a morte reza a Deus queixando-se de que Deus bem sabe que ela está inocente. Deus escuta-a e um rapaz, Daniel, começa a gritar dizendo que ele estava inocente da morte daquela mulher. Parou tudo, retoma-se o julgamento e Daniel vai ser o juiz. Manda separar os velhos e apanha-os numa pergunta simples: se a viram "embrulhada" com um rapaz... foi debaixo de que árvore? Um vai responder: um lentisco, o outro: um carvalho. E assim apanharam os velhos que, segundo a lei de Moisés, sofrem o mesmo castigo que iam aplicar a Susana. É uma história bonita, exemplar, que manda mensagens para todos: que não devemos mentir, que não devemos precipitar-nos em julgar e que não devemos ceder ao mal mesmo que isso nos cause a morte.
Esta é uma história do Antigo Testamento. No Novo Testamento temos outra, parecida pelo que tem de oposto com a da Susana. Não é casta mas prostituta (pode ser uma conclusão precipitada... o Evangelho diz que é uma mulher apanhada em flagrante adultério), também condenada, vão para a apedrejar, mas antes perguntam a Jesus como é que ele decidiria. Jesus opta pelo silêncio e começa a escrever no chão. Insistem com ele e Jesus diz aquela frase que todos nós conhecemos: Quem não tiver pecados, atire a primeira pedra. E diz o Evangelho que foram todos embora "a começar pelos mais velhos". Esta história acaba bem porque Jesus não condena esta mulher, pede-lhe para que não volte a pecar.
Há dois pormenores que me põem a pensar nestes dois episódios e que não consigo arranjar uma resposta que me satisfaça: porque é que aparecem os "velhos" como os maus da fita? No primeiro relato difamam Susana, no segundo, quando ouvem o que Jesus lhes diz, saem calados. O outro pormenor é que, curiosamente, nos dois textos se fala da lei de Moisés, há um julgamento e aparece alguém que não deixa que haja morte... Se não é coincidência o que será?

(Estes dois textos estão na Bíblia. O primeiro no livro de Daniel, capítulo 13 até ao final do capítulo 15; o segundo, no Evangelho de São João, no capítulo 8, até ao versículo 11)

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A fecundidade do casal

Oração para o início de um retiro