Farisaísmos


O Novo Testamento não elogia nada este grupo religioso que se achava dono da Lei e das leis e que implicavam com quem não a cumpria. Vemos na vida de Jesus grandes discussões, confrontos entre interpretações da Lei e das leis. Jesus chamou-os de raça de víboras, hipócritas, túmulos caiados de branco, por fora muito apresentáveis mas podres por dentro. Mas se eles aparecem no Novo Testamento não é para ficarmos a conhecer a raça deste grupo. Aparecem-nos como exemplo do que não devemos ser. "Tende cuidado" é o que diz Jesus de quando em vez sobre as atitudes dos fariseus.
Escrevo sobre os fariseus porque, infelizmente eles continuam vivos e activos e... católicos! Tenho vindo a ser "confrontado" com atitudes farisaicas destes fariseus que fecham aos homens o Reino do Céu e que ficam à porta e não entram nem deixam entrar (ler Mt 23, 13). Podem pensar: estou a exagerar. Já não há zelosos extremosos pela defesa das leis humanas da Igreja. Pode ser. Pode ser que esteja a ser como o Dom Quixote: onde Sancho Pança vê moinhos, Dom Quixote vê gigantes. Mas não creio. Conto-vos o que me aconteceu ontem, numa reunião de pais, em que se falava do problema dos divorciados re-casados na Igreja. Como é fácil de ver há bastantes situações de pessoas a quem o amor da relação simplesmente acabou. Por vezes uma das pessoas do casal é literalmente abandonada pela outra. É um problema. Diante disto vem a voz do fariseu que diz: azar, não tens direito a reconstruir a tua vida; reza e tenta viver da melhor maneira esse amor mutilado. (Não vou aqui escrever o que Jesus diria mas tenho a certeza que não daria uma resposta destas...). Outra situação de re-casamento pode ser a situação de maus tratos (que os há!) e em que o amor com que aquele casal casou acabou e às vezes se transforma em ódio. E aqui vem outra vez a voz do fariseu que diz: aguenta. Todos os casais passam por crises. Casamento também tem sofrimento. Não te podes divorciar.
Há mais situações, talvez piores do que estas, mas fico-me por aqui de situações.
O que é verdade é que as pessoas que passam por este drama não casaram para sofrer nem para ficarem privadas de amor. E voltaram a casar. Infelizmente casei pela segunda vez, diz uma das que refez a sua vida. Infelizmente, não por ter casado segunda vez mas porque a Igreja não a aceitou nesta condição e ela sente-se mal. Estás excomungado! grita a voz farisaica. Não, diz a voz do discíplulo de Jesus. Acima da lei humana há o Evangelho. E o fariseu boicota qualquer explicação que tente libertar do complexo de pecado e excomunhão que a lei eclesiástica está a massacrar. O discípulo quer lembrar o que leu na Bíblia: que onde há amor aí está Deus. Que onde há amor não há pecado. Os "incompreendidos" estão contentes com esta palavra de esperança enquanto que o fariseu levanta-se e pede para sair. Que sabe bem qual é a lei e que o discípulo não a está a defender. Que o discípulo não tem autoridade para suavizar a lei. E acaba o confronto. O discípulo fica triste por estes fariseus que não percebem que as leis mudam mas o Evangelho não. Os fariseus não se importam com a felicidade das pessoas. Os fariseus só querem que a lei se cumpra, doa a quem doer. Os fariseus dão graças a Deus porque na sua família não há desvios. Os fariseus alegram-se com o sofrimento dos outros.
Que Deus limpe o farisaísmo que há em cada um de nós.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

Oração para o início de um retiro

A vida de São Macário