Quarenta e oito anos



Faz hoje quarenta e oito anos que foi restaurada a Província Portuguesa da Ordem dos Pregadores (Dominicanos). Quando dizemos isto, algumas perguntam: só? É verdade. Oficialmente só, desde a Republica. No entanto a presença dos Dominicanos em Portugal é bem antiga e está bem datada: Serra de Montejunto (Santarém), 1217 (ainda em vida de São Domingos). Como qualquer Ordem Religiosa, no século XIX, mais precisamente em 1834, são extintos quaisquer casas de religiosos, num decreto assinado por Joaquim António de Aguiar, que ficou na história com a alcunha de "mata-frades". Mas 11 de Março de 1962 é, ao mesmo tempo, um ponto de chegada e igualmente um ponto de partida. De chegada porque já desde os finais desse mesmo século que o incansável fr. Domingos Frutuoso, padre diocesano que se faz dominicano, e que depois será bispo de Portalegre, vai juntando algumas vocações que vão vingando e fazendo reflorir a Ordem Dominicana em Portugal. É esta data um ponto de partida porque o desafio continua ainda hoje, com muitas exigências, poucas vocações, mas tentando ser fiel ao espírito de São Domingos e das grandes missões da Ordem e da Província. É dia de dar graças a Deus por esta estrada que, apesar de interrompida, ainda não vê a meta. De pedir perdão pelas incongruências e pelos maus testemunhos. De rezar por aqueles que deram a sua vida por esta Província. De reflexão sobre a nossa missão actual na Igreja e no mundo.
Acrescento do dia 12: Ontem não consegui colocar um vídeo do fr. José Maria, a quem entrevistei, sobre o que se passou há 48 anos e sobre a sua caminhada. Felizmente já o podem ver:

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A vida de São Macário

Oração para o início de um retiro