Em Roma sê romano


Finalmente, ontem, fui a Roma. Poderão perguntar-se: mas não está em Roma? Sim. Mas não na cidade. O Capítulo Geral reuniu-se numa casa dos Salesianos, onde eles têm a Cúria Geral e uma casa de retiros. Está a mais ou menos 12 km da da praça de São Pedro. Pode parecer pouco mas, de autocarro, demora-se, pelo menos, hora e meia. Como temos os dias muito ocupados, lá conseguimos ter o domingo livre. E eu fui com romanos, ou melhor, italianos que vivem em Roma, para poder ver, por um lado, o que há quatro anos atrás não vi e, por outro, deixar-me levar por quem conhece Roma melhor que eu. Trazia nas minhas intenções ver três coisas: A universidade pontifícia "Angelicum", o túmulo do Apóstolo São Filipe, na Igreja dos Doze Apóstolos e os aposentos de Santo Inácio de Loyola, ao lado da mais bela igreja de Roma, Il Gesú.
Sobre o Angelicum, pouco há a dizer. É uma Universidade dos Dominicanos em Roma, que, séculos antes foi um Mosteiro de São Domingos e São Sixto, de Monjas Dominicanas. A Igreja é muito bonita, dividida em duas partes: uma reservada aos frades, onde está o coro dos frades e a outra, acessível ao público, onde podemos ver a aparição de Cristo a Maria Madalena (noli me tangere) em Mármore, atribuída a Bernini.
Mas o mais "emocionante" foi estar nos aposentos de Santo Inácio. Uma visita privada, conduzida por um irmão Jesuíta, que nos mostrou os quatro espaços habitados por Santo Inácio: um corredor com frescos, cheios de ilusões óptimas, a sala de recepção, onde está a lareira, o escritório, com as mesas e escrivaninha de onde Santo Inácio escreveu mais de sete mil cartas (não, não me enganei no número!) e o quarto, agora transformado em capela, onde morreu Santo Inácio. Tudo muito bem conservado, muito austero, mas cheio de espiritualidade. Eu que não sou muito dado aos jesuítas, devo confessar que me foi com emoção que percorri aqueles espaços.
Estar em Roma com com romanos é bom porque, além de simpáticos, sabem os melhores sítios, os melhores cafés, as melhores gelatarias (melhores não quer dizer as mais caras...). Foi um dia bem passado, com muita calma, sem o Papa (estava em Inglaterra...), e com novas descobertas.
Amanhã regresso a Lisboa. O Capítulo está a terminar. Todos temos pressa em ir embora mas, ao mesmo tempo, pena porque a comunidade que aqui se formou, foi temporária. Mas a vida é isto mesmo: passamos a vida a fazer laços e a desatá-los.
(esta é uma das cartas autênticas de Santo Inácio. Podemos ver a sua letra, a sua assinatura e o selo branco da Companhia de Jesus)

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

A fecundidade do casal

Oração para o início de um retiro