Hoje é o dia do nascimento de Nossa Senhora

Hoje, dia 8 de Setembro, celebra-se, no mundo cristão, a festa do nascimento de Nossa Senhora. Na Bíblia não há nada que nos diga como e quando foi. Também, no princípio não era importante. Foi pelo século III-IV que começou o interesse sobre a ascendência de Jesus. É por essa altura que aparece um Evangelho apócrifo (não oficial e de pouca verosimilidade) intitulado "Livro sobre a natividade de Maria", que a Tradição conseguiu fazer passar para as culturas e para os crentes. Curiosamente, nas pregações sobre as vidas dos santos, os ouvintes gostam mais de ouvir estas histórias do que os ensinamentos do Evangelho.

Traduzi os cinco primeiros capítulos deste livro e que agora ofereço aos que por aqui passarem. Tenha-se em conta a máxima antiga italiana: Tradutore, Traditore (o tradutor é um traidor). As imagens são do grande pintor Giotto (séc. XIV) que estão na Capella Scrovegni, em Pádua.

I
A bem-aventurada e gloriosa sempre Virgem Maria descendia de estirpe régia e pertencia à família de David. Nasceu em Nazaré e foi educada no templo do Senhor, na cidade de Jerusalém. O seu pai chamava-se Joaquim e a sua mãe Ana. Era de Nazaré por parte do pai e de Belém por parte da sua mãe.
A vida destes esposos era simples e recta na presença do Senhor e irrepreensível e piedosa diante dos homens. Tinham as suas posses em três partes: uma era para o templo de Deus e os seus ministros; outra davam-na aos pobres e aos peregrinos; a outra ficava reservada para as necessidades que eles tinham.
Mas estes homens, tão queridos de Deus e piedosos para com o próximo, eram casados há vinte e sete anos, em casto matrimónio, sem obter descendência. Tinham feito, no entanto, um voto de que, se Deus lhes concedesse um rebento, o consagrariam ao serviço divino. Por este motivo costumavam ir durante o ano ao templo de Deus por ocasião das festas.


II
Estava próxima a festa da Dedicação do Templo e Joaquim subiu a Jerusalém na companhia de alguns conterrâneos. Era sumo sacerdote naquele tempo Isacar. Este, ao ver Joaquim entre os seus concidadãos prontos a oferecerem os seus dons, menosprezou-o e desdenhou as suas ofertas, perguntando-lhe como tinha coragem para apresentar-se entre os prolíficos, ele que era estéril. Disse-lhe ainda que as suas ofertas não seriam entregues a Deus porque o considerava indigno de posteridade, e citou o testemunho da Escritura, que declara maldito o que não tiver gerado um varão em Israel. Queria, pois, dizer-lhe que devia primeiro ver-se livre desta maldição tendo filhos e que só então poderia apresentar-se com oferendas diante do Senhor.

Joaquim ficou morto de vergonha diante de tamanha injustiça e retirou-se para as grutas onde estavam os pastores com os seus rebanhos, sem querer voltar a casa para não se expor a semelhantes desprezos por parte dos seus conterrâneos que tinham presenciado à cena e ouvido o que o sumo sacerdote lhe tinha acusado.

III
Estava já há algum tempo naquele lugar, quando um dia em que estava sozinho apresentou-se-lhe um anjo de Deus, rodeado de um imenso esplendor. Ele ficou perturbado ao vê-lo, mas o anjo da aparição livrou-o do temor dizendo: «Joaquim, não tenhas medo nem te assustes por me veres. Sou um anjo do Senhor. Ele enviou-me a ti pata te anunciar que as tuas orações e as tuas esmolas subiram à sua presença. O Senhor olhou para a tua tristeza, depois de que chegou aos seus ouvidos o opróbrio de esterilidade que injustamente se te dirigia. Deus é verdadeiramente vingador do delito, mas não da natureza. E por isso, quando fecha um ventre, fá-lo para poder abri-lo de novo de uma maneira mais admirável e para que fique bem claro que a prole não fruto da paixão mas da liberalidade divina.
Repara: Sara, a primeira mãe da vossa linhagem, não foi estéril até aos oitenta anos? E, no entanto, deu à luz na sua velhice a Isaac, que esperava a bênção de todas as gerações. Também Raquel, apesar de ser tão agradecida a Deus e tão cara ao santo Jacob, foi estéril durante muito tempo. Sem que isso fosse obstáculo para depois gerar a José, que foi não só o senhor do Egipto, mas também o libertador de muitos povos que iam morrer de fome. E quem houve, entre os juízes, mais forte que Sansão ou mais santo que Samuel? No entanto, ambos tiveram mães estéreis. Se, pois, a razão que está nas minhas palavras não te convence, tem por certo que quanto menos aquelas concepções muito esperadas e os partos que vieram da esterilidade são os mais maravilhosos.
Fica a saber, pois, que Ana, tua mulher, vai dar-te à luz uma filha, a quem porás o nome de Maria. Esta viverá consagrada a Deus desde criança, de acordo com o voto que fizestes, e já no ventre de sua mãe ficará cheia do Espírito Santo. Não comerá nem beberá nada impuro, nem passará a sua vida na agitação do povo, mas no recolhimento do templo do Senhor, para que ninguém possa chegar a suspeitar nem dizer coisa alguma que lhe seja desfavorável. E quando crescer em idade, da mesma maneira que vai nascer de mãe estéril, assim, sendo virgem, gerará de um modo incomparável ao Filho do Altíssimo. O nome deste será Jesus, porque, de acordo com o seu significado, será o salvador de todos os povos.
Este será para ti o sinal de que é verdade o que te acabo de dizer: quando chegares à porta Dourada de Jerusalém encontrar-te-ás com Ana, tua mulher, que virá ao teu encontro. Ela, que agora está preocupada pela tua demora, alegrar-se-á profundamente por poder ver-te de novo». E dito isto, o anjo deixou-o.


IV
Depois apareceu a Ana, a mulher de Joaquim, e disse-lhe: «Não tenhas medo, Ana, nem penses que é um fantasma o que estás a ver. Sou o anjo que apresentou as vossas orações e esmolas diante do altar do Senhor. Agora acabo de ser enviado a vós para vos anunciar o nascimento de uma filha cujo nome será Maria e que há-de ser bendita entre todas as mulheres. Desde o momento em que nascer brotará dela a graça do Senhor e permanecerá na casa paterna os primeiros três anos até que termine a sua amamentação. Depois será consagrada ao serviço de Deus e não abandonará o templo até que chegue o tempo da discrição. Ali permanecerá servindo a Deus com jejuns e orações, noite e dia e abstendo-se de todas as coisas impuras. Não conhecerá varão, mas só ela, sem prévio exemplo e livre de toda a mancha, corrupção ou união com algum homem, dará à luz, sendo virgem, um filho, e sendo escrava, ao Senhor que com a sua graça, o seu nome e a sua obra é salvador de todo o mundo. Levanta-te, pois, sobe a Jerusalém. E quando chegues à porta que se chama Aurea por estar dourada, encontrarás, como confirmação do que te digo, o teu marido, por cuja saúde estás preocupada. Tem, pois, a certeza, quando se cumprirem estas coisas, que o conteúdo da minha mensagem se cumprirá sem qualquer dúvida».


V
Ambos obedeceram ao que o anjo lhes dissera e puseram-se a caminho de Jerusalém desde o sitio onde respectivamente se encontravam. Então, alegres por se encontrarem novamente e firmes na certeza que lhes dava a promessa de um futuro feliz, deram graças a Deus que exalta os humildes.

E depois de adorar o Senhor, voltaram para casa, onde esperaram a realização da divina promessa, cheios de confiança e alegria. Por fim, Ana concebeu e deu à luz uma filha, a quem os seus pais deram o nome de Maria, segundo o mandamento do anjo.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

Oração para o início de um retiro

A fecundidade do casal