Ávila


Para mim é uma das cidades mais bonitas de Espanha. E hoje, dia de Santa Teresa de Ávila, é para lá que vai o meu pensamento. Recordo aquela mulher, forte, sábia, que não aceitou a mediocridade da vida conventual, que construiu o seu castelo interior, para depois reformar a sua Ordem. Entregou a sua vida a Deus, com Ele se entreteve nas suas visões e arrebates místicos. Para ela só Deus bastava. Para ela Deus estava no meio das panelas. Ela que soube conjugar a grandeza e a humildade; quanto mais humilde maior se tornava. Ela que encontrou um menino na escada do mosteiro e que lhe perguntou quem era: "Teresa de Jesus, respondeu a santa. E vós, quem sois?" Resposta do Menino: "Eu sou o Jesus de Teresa". Devotíssima de São José, o seu ecónomo, a quem recorria nas dificuldades e que sempre era por ele atendida e, por isso, pediu que todos os Carmelos fossem a este pai providente dedicados.

Recordo os meus dias felizes em Ávila. Nunca sozinho, umas vezes com neve, outras com muito sol. Cidade amuralhada que lembra o tempo da Santa e também o nosso tempo. Hoje a memória leva-me lá. Hoje sinto-me lá. E lá, sinto-me em casa.

Mensagens populares deste blogue

Fátima descaracterizada

Oração para o início de um retiro

A fecundidade do casal